Todas Edições

O PORTAL DA MICRO, PEQUENA E MÉDIA EMPRESA.

REALIZAÇÃO: Bit Partner | DIREÇÃO: Sidney Cohen

O desafio do reaprender a aprender

O que você aprendeu hoje?

Essa pergunta é feita por pais de todas as gerações aos seus filhos na mesa do jantar. Mas, se essa fase já é coisa do passado, é sinal que você tinha todo o tempo do mundo para aprender.

E justamente o tempo de hoje não é o mesmo, pois ele não anda mais, voa. Principalmente diante de tanta tecnologia, o “aprender a aprender” ou, se preferir, “o reaprender a aprender”, torna-se uma necessidade absoluta, conforme cita em entrevista exclusiva ao PME NEWS, Tania Zagury. Filósofa, mestre, professora da Faculdade de Educação da UFRJ, escritora com 34 livros publicados no Brasil e no exterior, Tania tem sido uma voz importante nesse momento de adaptação, criação e transformação em que vivemos. Confira!

Bastidores

  • Desde o dia 24 de março, data de início da quarentena em São Paulo, o Conselho Regional de Enfermagem de São Paulo (Coren-SP) passou a prestar o atendimento ao profissional de enfermagem de forma online, devido à alta demanda de pedidos de inscrição profissional.   Segundo a instituição, o atendimento cresceu 46% em comparação a março do ano passado. A demanda por oportunidade de emprego do setor também cresceu. De acordo com a Catho, plataforma de empregos online, foram abertas mais de 3,7 mil vagas na área da saúde, em apenas uma única semana no mês de março,  um aumento de 500% em relação ao mesmo período de 2019. Os cargos de técnicos de enfermagem e enfermeiros se destacaram como os mais disponíveis.
  • De acordo com o levantamento realizado pela empresa de informações de crédito Boa Vista, o número de novas empresas cresceu 8,5% no 1º trimestre, comparado ao mesmo período de 2019. E o perfil que mais se destacou foi o do Microempreendedor Individual (MEI), que cresceu 12,6% nesse período.  Em termos de composição, os MEIs representam 81,7% dos casos no 1º trimestre. Quanto à análise de novas empresas por setores, o estudo aponta que o setor de Serviços atingiu 62,5% de representatividade no primeiro trimestre.
  •  Em abril, a B3 (antiga Bovespa) alcançou a marca de 2.385 milhões de pequenos investidores. Apesar da crise financeira causada pela pandemia da Covid-19, em março foram registrados mais de 300 mil novos investidores e em abril mais de 100 mil. Segundo a B3, a pandemia acelerou a participação dos investidores individuais. Só no primeiro trimestre de 2020, a base de CPFs inscritos na B3 aumentou 562.000.
  • A pesquisa Consumer Sentiment Brasil, realizada com 1,3 mil consumidores brasileiros entre 17 e 19 de abril, pelo Boston Consulting Group (BCG), aponta que a experiência digital no isolamento deverá manter o e-commerce em alta para os próximos seis meses. As famílias de médio e alto poder aquisitivo predominam no perfil de consumidores on-line. As farmácias, lojas de departamentos e de artigos eletrônicos podem se beneficiar com o comércio eletrônico no médio prazo. Porém, o mesmo não é percebido em alguns segmentos de varejo. Entre os mais afetados, está o setor de vestuário, com forte queda de 82% nas vendas nos meses de março e abril.  Já o comércio de vizinhança destacou-se entre a concorrência por não registrar retração de hábitos.

Novos Desafios

Ana Coutinho é a nova Vice-Presidente de Atendimento e Negócio da Agência DPZ&T.

Dados Impressionantes

  • Cresce o número no uso de Inteligência Artificial (IA) para atendimento ao cliente. Segundo o estudo global da Zendesk realizado entre os meses de fevereiro e abril, com mais de 23 mil empresas, houve um aumento de 90% no uso de IA pelas organizações, principalmente, aquelas de setores que vêm enfrentando picos nos chamados, como jogos, trabalho e educação à distância, telecomunicações e entrega de alimentos. A pesquisa aponta que houve uma forte migração de empresas dos mais variados tamanhos para os canais não tradicionais de atendimento, como WhatsApp (+41%), Chat (+34%) e mensageria nativa (+14%).
  • Em março desse ano, a IDC divulgou o estudo global “Transformação Digital: O Futuro da Construção Conectada”, encomendado pela Autodesk. A pesquisa consultou 835 profissionais de grandes construtoras de 12 países da Europa, Américas e Ásia. E apontou que 72% das empresas do setor consideram prioridade a digitalização em seus modelos de negócios. Segundo o levantamento, apenas 13% das empresas são maduras na adoção de novas tecnologias, 28% estão se adaptando e a maioria, 58% ainda estão na fase inicial.
  • Brinquedos e Jogos registram aumento de 434,7% em vendas no período entre 1 de março e 25 de abril. Foram analisados mais de 25 milhões de pedidos feitos em 4 mil lojas virtuais de acordo com o levantamento realizado pela Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm). Foram considerados apenas as vendas online de produtos físicos, não incluindo serviços, como viagens e turismo ou aplicativos de entrega, por exemplo. Os resultados foram divididos em 16 categorias. Além dos Brinquedos e jogos, registraram aumento as categorias de Supermercados (270,16%), Artigos Esportivos (211,95%), Eletrodomésticos (96,66%) e Cosméticos (88,02%). Entre as categorias que registraram maiores perdas estão Livraria (-46,43%) e Autopeças (-57,95%).

Agenda

30 de Junho – Novo prazo para os Microempreendedores Individuais (MEI) entregarem à Receita Federal a Declaração Anual do Simples Nacional (DASN-SIMEI), referente ao ano de 2019.

Entrevista

Esta coluna é destinada a entrevistas com especialistas, gestores, executivos e empresários de destaque.

Segue a entrevista de Tania Zagury.

PME NEWS – Nesse cenário de Coronavírus e Mundo 4.0, quem precisa reaprender a aprender?

Tania Zagury – Hoje em dia, com a velocidade jamais imaginada do progresso tecnológico, torna-se uma necessidade absoluta o “aprender a aprender” ou, se preferir, “o reaprender a aprender” de que já tratávamos, em Educação, há mais de vinte anos. Na verdade, sempre considerei – e tomei como lema de vida pessoal e profissional – essa premissa básica, que sigo: não me deitar um dia sequer sem ter aprendido algo novo. Não precisa ser uma aprendizagem complexa a cada dia, seria impossível; qualquer coisa nova que se aprende agrega valor a tudo que já sabíamos. Na atualidade, tornou-se questão de sobrevivência. Ninguém pode mais se dar ao luxo de ignorar as novas tecnologias. É preciso aprender e a reaprender a ensinar – e bem – nesse novo contexto. Quem se fecha para o saber, em pouco tempo estará inapto para o mercado de trabalho – e para a vida!

PME NEWS – Como se manter saudável mentalmente trabalhando em home office?

Tania Zagury – Estou em isolamento social, como todos que precisam e podem. Decidi viver um dia de cada vez. E está sendo bom assim. Os primeiros são os dias mais difíceis, porque a pessoa está acostumada a um ritmo de vida e de trabalho que, de repente e de forma abrupta, se surpreende impossibilitado de seguir. Faz-se necessário, portanto, organização e positividade. É o que estou fazendo. Não é fácil, mas é o caminho possível… Para tanto, dividi meu dia da seguinte forma: rotinas pessoais e domésticas pela manhã. Depois, almoço e uma pequena parada – vale até uma rápida soneca se for o caso, ou ler um pouco depois (um luxo que jamais pude ter em dias de semana, mas que estou achando ótimo). À tarde, das 14 às 18h, trabalho normalmente. Depois disso, é só lazer: filmes, séries, papos telefônicos ou pelo FaceTime com amigos, filhos e familiares e… pronto! Quando você vê, mais um dia se passou!

PME NEWS – Qual a perspectiva de sucesso para o EaD no Brasil?

Tania Zagury – O EaD no Brasil ainda é incipiente; com a pandemia, porém, tornou-se uma ferramenta utilizada por escolas e profissionais de todas as áreas diariamente; quando tudo isso terminar, creio que o EaD já se terá tornado parte das nossas vidas, em função da necessidade que se criou para as escolas e as famílias. Quer se goste ou não, todos estão precisando aprender a utilizar. Já dei entrevistas via web, respondi a diversas entrevistas e até dei palestras para várias cidades simultaneamente. É um recurso e tanto! Continuo postando notícias e comentários educacionais em minhas redes. É um novo mundo, que surge. Importante é que as pessoas estejam abertas à inovação. Nunca se sabe o que vai ocorrer ao dobrarmos a próxima esquina. Então, esqueçamos o “não gosto” ou o “não sei usar”, e abramos a mente às novidades. Sou fã da tecnologia. Sem ela não teria escrito tantos livros (são 34 atualmente, o 35º sendo escrito, alguns traduzidos para vários idiomas e países). Quando bem utilizado, o EaD é utilíssimo.

PME NEWS – Quais são os novos perigos que rondam o mercado de trabalho?

Tania Zagury – Sei que teremos um aumento grande do desemprego, gerado pela falência de muitas empresas, infelizmente. Será, sem dúvida, um período muito difícil, de imprevisíveis consequências econômicas e de duração indefinida. Dependerá muito de como os governantes atuarem, no sentido de criarem possibilidades concretas de recuperação das empresas e da economia – e no menor prazo possível. Por outro lado, acredito no poder de o homem se reinventar. Através dos tempos, isso já foi devidamente comprovado: o homem é o maior inimigo do homem, mas é, também, quem o reinventa. Tenho muita esperança de que saberemos superar os desafios que virão.

PME NEWS – Quais serão os desafios que as empresas e os profissionais encontrarão quando o cenário “normalizar”?

Tania Zagury – A meu juízo, o maior desafio será de empresários e governantes estarem realmente dispostos a se solidarizarem com os problemas dos demais. Por exemplo, com o problema dos empregados, para, a partir daí, tomarem decisões que possibilitem acordos e impeçam demissões em massa. Faz-se necessário pensar que a elevação geométrica de desempregados – que no Brasil girava em torno de 13 milhões antes de a atual crise se iniciar, crescerá muito! Se governo e empresariado se preocuparem apenas com o próprio bolso, as coisas se complicarão ainda mais. Teremos fome e desespero – o que sempre acaba resultando em mais problemas sociais e violência. É preciso união agora – e depois de a pandemia passar, mais ainda!

PME NEWS – Quais áreas sairão fortalecidas após a pandemia?

Tania Zagury – A pandemia desnudou uma faceta nem sempre visível do ser humano, que é a surpreendente capacidade de se solidarizar, espontânea e sinceramente, de grande parte das pessoas. Solidariedade que aparece durante e após calamidades como enchentes, desmoronamentos etc., e que ressurgem especialmente em situações de risco extremo, como a atual. Acredito que solidariedade e empatia têm alto poder contagiante – no bom sentido do termo… É o que estamos vendo ocorrer agora, e já aconteceu em outras ocasiões: dezenas e dezenas de pessoas, surgidas ninguém sabe como nem de onde, espontaneamente iniciam trabalho de salvamento, apoio, ajuda e alimentação aos que se vitimizam. É emocionante e traz à tona o que de melhor tem o ser humano. Nesse momento, ambas estão se fortalecendo, impossível negar.

PME NEWS – O que mudou e o que mudará em sua rotina após o isolamento social?

Tania Zagury – Não sei dizer ao certo, porque é um processo que está ainda sendo gestado. Mas, com certeza, pude comprovar o que Sartre dizia: é na adversidade que o ser humano revela sua humanidade …

Pense Nisso

“Quem se fecha para o saber,
em pouco tempo estará inapto
para o mercado de trabalho

e para a vida”.

Tania Zagury

Receba o PME NEWS

Ao enviar o seu email, você declara estar de acordo com a Política de privacidade e de Cookies publicada no site

PATROCINADOR

Ao clicar em “Aceitar cookies”, você concorda com o armazenamento de cookies no seu dispositivo para melhorar a navegação no site, analisar o uso do site e nos ajudar na melhoria da qualidade dos nossos serviços Leia nossa política de privacidade